Venda ou falência: qual é o futuro da Credz?

A DM Card, empresa administradora de cartões de crédito white e private label especializada em supermercados e comércio local, tem a oportunidade de adquirir a sua principal concorrente: a Credz, que acumula dívida de R$ 3,5 bilhões e estaria em vias de decretar falência.

Nenhuma das empresas comentou o assunto quando procuradas pela imprensa, mas a negociação de compra já é de conhecimento até do Banco Central, adiantou o jornalista Lauro Jardim, de O Globo.

Conhecida por estabelecer parcerias com o varejo para oferecer crédito ao consumidor de baixa renda, a Credz tem  R$ 3,5 bilhões em dívidas, das quais R$ 1,3 bilhão corresponde a um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), R$ 1,1 bilhão vem de dívidas corporativas e R$ 1,1 bilhão se refere a compromissos com a Visa, bandeira parceira da administradora de cartões.

Credores

O Itaú é o credor que pode ter o maior prejuízo caso a Credz declare falência. Dos R$ 420 milhões investidos na administradora de cartões, atualmente R$ 250 milhões foram contabilizados como dívida corporativa e outros R$ 170 milhões foram investidos no FIDC.

Credit Suisse (R$ 210 milhões), Modal (R$ 150 milhões), XP (R$ 56 milhões) e Icatu (R$ 56 milhões) completam a lista de maiores credores da Credz.

Não se sabe, ao certo, a origem do rombo da Credz, mas fontes em off atribuíram o revés sofrido pela administradora de cartões de crédito à alta da Taxa Selic, que desde fevereiro de 2022 permanece na casa dos dois dígitos.

Espiral de problemas

Porém, a tentativa de venda da empresa não é novidade. Em abril, a liderança da Credz tentou negociar a companhia com a DM, que, na época, não demonstrou interesse na proposta.

A situação da Credz, no entanto, ficou mais complicada no início de outubro, após a suspensão do pagamento de R$ 82 milhões ao Banco Votorantim, referente a uma  nota comercial. 

Diante do atraso, o BV judicializou a cobrança, que pode afetar os investidores de debêntures emitidas pela CREDZ.

Venda

Caso a venda da Credz se confirme, a DM se fortalecerá ainda como líder absoluta do segmento, tendo em vista que em abril, a empresa adquiriu 49,99% da FortBrasil, também do mercado private label.

Atualmente, a DM tem dois milhões de usuários na base, número que pode chegar a 3,2 milhões com as carteiras da Credz, além de somar mais R$ 2,4 bilhões ao portfólio de recebíveis.

Para tanto, a proposta da DM é assumir 100% do capital da Credz, a fim de transferir a dívida para uma holding e quitá-la por meio de parcelas sobre o lucro da operação nos próximos anos.

Em contrapartida, a DM deve investir de imediato R$ 350 milhões, a fim de viabilizar o giro do negócio.

Siga todas as informações do Open Hub News no Linkedin ou em nossa Newsletter.
  

Autor

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *