O Planejamento Inicial da Estratégia Digital

Seja para iniciar uma área de Cobrança completa ou implantar uma Cobrança de um novo produto financeiro em uma área de Cobrança já existente, o Planejamento inicial é necessário para escolher o que chamo de Macro Estratégias.

Uma decisão de gestão executiva é se este processo de cobrança será com estrutura própria do Credor ou terceirizada com Empresas de Cobrança, sabendo que nas faixas de atraso mais avançado, por uma questão relevante de investimento versus retorno, se tornará necessário ter parte ou toda operação terceirizada.

E o Planejamento Macro da Estratégia deve considerar todo o ciclo de atraso mantendo atualizados os dados preferências, ou de sucesso de contato com o consumidor e todas as interações e negociações feitas para permitir maior eficiência nos resultados de recuperação de crédito.

O Produto Financeiro que será cobrado vai definir a necessidade ou não de uso de procedimentos judiciais, de retomada de bens alienados em garantia ao empréstimo (veículos, imóveis etc) que precisarão de fluxos específicos para notificações judiciais, preparação de documentação, gestão das etapas nas camadas legais, etc.

O Produto Financeiro que será cobrado vai definir a necessidade ou não de uso de procedimentos judiciais, de retomada de bens alienados em garantia ao empréstimo (veículos, imóveis etc) que precisarão de fluxos específicos para notificações judiciais, preparação de documentação, gestão das etapas nas camadas legais, etc.

O empréstimo não tendo garantia de bens, não precisa deste processo, sendo chamado de Cobrança Amigável, ou massificada.

E este segmento de Cobrança Amigável, será nosso foco nestes artigos por ser a mais desafiadora com altos volumes de contas, e dados envolvidos, dinâmica de recuperação e variedade de estratégias necessárias para um bom resultado.

Vamos considerar a cobrança no atraso inicial. Para qualquer produto que esteja sendo cobrado o mais importante é informar ao consumidor sobre a existência da pendência financeira. Nesta fase muitas dívidas são resolvidas sem que se tenha sucesso nesta comunicação com o responsável financeiro. O próprio consumidor tem conhecimento do atraso, por exemplo pela interrupção do serviço que não foi pago.

Existem situações que o consumidor nem sabe que não foi quitada a dívida na data. Um exemplo cada vez mais comum são os serviços de assinaturas pagos com cartão de crédito, musica, TV paga, internet de casa, academia, tag de carro para pedágios …. basta o prazo de validade do cartão vencer que a transação será negada pela administradora do cartão e o consumidor pode nem perceber.

E aqui começa a necessidade de uma Plataforma de Cobrança Digital que vai gerar de modo planejado, sincronizado, integrado, mensagens para informar a dívida em aberto e já oferecer a solução de pagamento como uma linha digitável, ou um link para o consumidor efetuar a troca dos dados do cartão que efetua o pagamento, de modo prático sem dar trabalho ao consumidor, facilitando o pagamento e continuidade do serviço .

Vamos tratar das funcionalidades desta Plataforma de Cobrança Digital nos próximos artigos.

Siga todas as informações do Open Hub News no Linkedin ou em nossa Newsletter.
  

Autor