Desafios e a Importância da Liderança Feminina no Mercado Financeiro

Nos últimos anos, testemunhamos um movimento transformador em direção à promoção da liderança feminina em diversos setores, incluindo o mercado financeiro. Embora as mulheres ainda enfrentem barreiras culturais e estereótipos de gênero, suas contribuições para a inovação e o crescimento sustentável tornam-se cada vez mais evidentes.

Para se ter uma ideia, a McKinsey & Company revelou que os avanços tecnológicos podem dar a 160 milhões de mulheres a chance de mudarem de emprego até 2030 e progredirem em suas carreiras. Também temos a projeção de um crescimento de 20% no número de trabalhos para essas profissionais. Hoje, as mulheres no Brasil já são responsáveis por cerca de 56% dos doutores formados anualmente. Elas estão se qualificando cada vez mais para acessar esse mercado de trabalho.

Do outro lado, porém, a presença das mulheres nos mais altos escalões ainda está aquém do seu potencial e representatividade, principalmente diante dos enormes desafios que enfrentamos em termos de igualdade de oportunidades e inclusão. Segundo levantamento da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais) mostram que, do total de profissionais CGA (Certificação de Gestores de Carteiras Anbima), somente 7% são mulheres. Segundo a Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais), dos 1313 analistas CNPI credenciados, apenas 186 (14%) são do sexo feminino. Ou seja, o caminho da equidade é longo.

Uma barreira insidiosa que as mulheres frequentemente enfrentam é a manifestação das crenças limitantes, que são ideias internalizadas que minam sua confiança e restringem seu potencial. Desmantelar essas ideias é crucial para permitir que as mulheres atinjam seus objetivos e contribuam de maneira plena e significativa para o mundo empresarial.

Em entrevista OpenHub News Brasil, Marina diz que, entre as muitas dificuldades encontradas no meio corporativo, uma a incomoda: a ideia de que toda mulher em cargo de liderança é naturalmente “brava e impositiva”. “Sou uma mulher afável e, isto não significa, ser incapaz de liderar times de alta performance, muito longe disto.”

Desafios como esse e outros ainda mais complexos sempre existiram para as mulheres em cargos de liderança, mas com o aumento da representatividade feminina, não só mais profissionais estão conseguindo superá-los, como o próprio mercado está encontrando maneiras de viabilizar oportunidades para todos.

As organizações que não priorizam a multiplicidade de perfis e visões em seus processos decisórios tendem a perder espaço em um mundo que não tolera mais estereótipos e discriminação. Neste artigo, exploraremos as razões pelas quais a liderança feminina é crucial para contribuir para a inovação e promover o crescimento sustentável no setor financeiro.

  1. Diversidade de Pensamento e Criatividade: As mulheres tendem a adotar uma abordagem mais colaborativa, incentivando a diversidade de pensamento e a troca aberta de ideias. Essa diversidade de perspectivas estimula a criatividade e a inovação, impulsionando a criação de soluções inovadoras e adaptáveis às necessidades em constante mudança dos clientes.
  2. Foco na Sustentabilidade e Responsabilidade Social: Elas têm uma tendência a considerar não apenas os lucros imediatos, mas também o impacto ao longo prazo das decisões empresariais sob uma ótica mais sustentável, contribuindo para um crescimento econômico equitativo e duradouro.
  3. Habilidades de Comunicação e Empatia: As mulheres aparecem de maneira visivelmente diferente dos homens em termos de construção de conexões, mentoria, desenvolvimento de outras pessoas a demonstração de preocupação com a comunidade. No ambiente de negócios atual, isso funciona como uma superpotência.
  4. Estímulo à Diversidade e à Igualdade de Oportunidades: As mulheres líderes frequentemente defendem ambientes de trabalho mais inclusivos, promovendo a diversidade e garantindo igualdade de oportunidades para todos. Isso não apenas cria um ambiente mais justo, mas também resulta em equipes mais diversas em termos de experiências, habilidades e perspectivas. A diversidade é um impulsionador poderoso da inovação, pois diferentes pontos de vista podem levar a soluções únicas e inovadoras para os desafios complexos enfrentados pelo setor financeiro.

Isto posto, a liderança feminina no setor financeiro é muito mais do que uma questão de igualdade de gênero, é uma necessidade imperativa para contribuir para a inovação e promover o crescimento sustentável. Mulheres líderes são boas para os negócios: “Marina reitera que, segundo o relatório TheReady-Now Leaders da Ong Conference Board, as organizações com pelo menos 30% de mulheres em cargos de liderança têm 12 vezes mais chance de estar entre as 20% melhores em desempenho financeiro.

Siga todas as informações do Open Hub News no Linkedin ou em nossa Newsletter.
  

Autor